Logo Loading

Este Religioso estando em Roma no anno de 1618. descubrio na liuraria Vaticana de Sua Sanctidade, hum liurinho de mão, intitulado, Suspiria Augustini: tam parecido na suauidade do estillo, & feruor das palauras a suas Meditações, & Soliloquios, que senão pode julgar por filho adulterino, senão mui legitimo do entendimento, & espiritu deste Sancto Doutor. Trouxeo a Espanha, & vindo âs mãos do Bispo de Siguẽça Dom Sancho de Auila, particular deuoto de nosso Padre; porque tam diuino thesouro pudesse andar pellas de todos, o traduzio em Castelhano, acrescentando à natural graça do pico desta lingoa, a de seu estillo, que he muita. Mas como da impressaõ de Castella vierão mui poucos a este Reyno, tratandose de o imprimir nelle, me pedirão algũas pessoas illustres, & deuotas, quizesse tomar o trabalho (bem que pequeno) de o traduzir em Portugues, tendo por mais propria da brãdura de nossa lingoa a destes Suspiros. Aceiteio, & mandei pedir a Coimbra ao Padre Mestre Frey Luis dos Anjos (que ainda era viuo) o original latino, donde traduzi os primeiros quinze capitulos; porque sò estes achei nelle; que os outros quatro vi sómente no Castelhano, & por me parecerem deuotos os acrescentei no fim. Procurei comprehender o sentido do Santo, & explicàllo cõ as mis proprias, & deuotas palauras, que pude, ainda que paresse acrescentar às vezes algũas. Porque naõ approuo a opinião de alguns, a quem parece, que o primor do traduzir està, em verter palaura por palaura, indo atados âs do original, sem diminuir, nem acrescentar nenhũa : não aprouo isto; porque como a frase de cada hũa das lingoas he tam differente, deste modo de traduzir nasce ficar (como vemos em alguns) o estillo escabroso, dissonante, & desatado. Basta (como aduirtio bem Philippe Montano sobre S. João Chrisostomo) comprehender o sentido do Author, & explicàllo com palauras proprias:ainda que para a suavidade do estillo, & frase da lingoa em que se traduz, seja necessario acrescentar, ou diminuir algũa. Com tudo me sogeito à censura dos que melhor entendem: que como em cousas tam poucas não pretendo ganhar fama, sò quero que a destes Suspiros se estenda de modo, que vindo as mãos de todos aprendaõ do exemplo de S. Agostinho a suspirar pello Ceo.

Suspiros do Glorioso Doutor da Igreja S. Agostinho, impresso na oficina de Henrique Valente Oliveira, em Lisboa, no ano de 1656. Brevemente em reedição na Bibliotrónica Portuguesa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *