Logo Loading

Lista de itens: pontuação e maiúscula

Regra

I. A lista de itens é um recurso gráfico que visa transmitir informação de forma mais organizada e clara. As regras de pontuação aplicáveis a texto que não se apresente desta forma também se aplicam numa lista de itens: a) a dois pontos não deve seguir-se maiúscula (exceto quando a maiúscula for imposta por regra alheia à circunstância da lista de itens), pelo que: 1. ou a lista de itens é introduzida por dois pontos a que se seguirão itens iniciados por minúsculas e terminados por vírgula ou ponto e vírgula, ou 2. a lista não será introduzida por dois pontos, seguindo-se itens iniciados por maiúscula e terminados com ponto final; b) os itens que não terminem com ponto final terminarão com vírgula ou ponto e vírgula, conforme já haja ou não vírgulas em cada item: se não houver, terminarão com vírgula; se houver, terminarão com ponto e vírgula. II. Para marcar o início de cada item, prefira-se o travessão (N dash: alt+0150).

Exemplos

I.a)1. Em anos anteriores foram identificados alguns coronavírus que provocaram surtos e infeções respiratórias graves em humanos:
– o coronavírus SARS-CoV provocou, entre 2002 e 2003, a síndrome respiratória aguda grave;
– o coronavírus MERS-CoV provocou, em 2012, a síndrome respiratória do Médio Oriente.

I.a)2. Em anos anteriores foram identificados alguns coronavírus que provocaram surtos e infeções respiratórias graves em humanos. Seguem dois exemplos.
– O coronavírus SARS-CoV provocou, entre 2002 e 2003, a síndrome respiratória aguda grave.
– O coronavírus MERS-CoV provocou, em 2012, a síndrome respiratória do Médio Oriente.

I.b)

Em anos anteriores foram identificados alguns coronavírus que provocaram surtos e infeções respiratórias graves em humanos:
– o coronavírus SARS-CoV,
– o coronavírus MERS-CoV.

Em anos anteriores foram identificados alguns coronavírus que provocaram surtos e infeções respiratórias graves em humanos:
– o coronavírus SARS-CoV provocou, entre 2002 e 2003, a síndrome respiratória aguda grave;
– o coronavírus MERS-CoV provocou, em 2012, a síndrome respiratória do Médio Oriente.

EXERCÍCIOS