Logo Loading

Permanecia entre a realidade e o delírio. Refém da vida. Traído. Não aguentava mais. A cabeça insistia em funcionar num corpo acamado há tanto tempo. Tinha medo. Queria esquecer as recordações de quando era novo, mas, de um momento para o outro, soltavam-se memórias cravadas no cérebro.

Em criança, visitava aquele lugar todos os dias. Fazia o mesmo carreiro serpenteante, transportado por ilusões que se dissolviam ao embaterem nas altas árvores, cujas raízes acariciavam as trevas da terra. Aproximava-me do rochedo, derrubando as teias de aranha carregadas de geada e, como um alpinista, escalava por ali acima, até avistar a paisagem conhecida.

No horizonte, a crista da montanha resistia à passagem das estações decorada de neve e usava um saiote verde de pinheiros e outras árvores.

Avistava o oceano e as grandiosas baleias-azuis. Ouvia explosões que ecoavam como ondas. Saltavam de forma distinta. Eram enormes. Nadavam lado a lado com gestos enigmáticos. Que imagem!

Nenhuma noite podia trazer-me saúde ou sossego; mesmo assim, tentei acalmar-me, aguardando a manhã seguinte, que já caminhava do outro lado do planeta na minha direção.

A claridade da lua cheia rompia em elegantes filões através das nuvens encaracoladas. A brisa era agradável. Quis partir.

Voei pela linha sombreada da montanha. Baloiçava a cabeça inclinada para baixo, de um lado para o outro como um pêndulo, até que rasei as copas das árvores e fui direito às águas geladas, onde as baleias-azuis nadavam em família. BUUUM! Mergulhei.

Desci até encontrar a vibração dos seus sons profundos. Que alegria foi ouvir o cantar do amor.

Hélio Sequeira

Os Invulgares

Comments(4)

    • José Serra

    • há 3 semanas

    (Com mais três vírgulas), gostaria de ter sido eu a escrever este texto.
    Parabéns.
    JAMS

    • Hélio Sequeira

    • há 3 semanas

    Muito obrigado.

      • João Sobrinho

      • há 2 semanas

      Boa tarde!
      Hélio Sequeira

      Que lindo texto! Faz-nos recordar
      quando crianças. Realmente, nunca vi uma baleia em pleno oceano… Mas já vi um tigre enjaulado numa feira popular em Luanda. Que saudades!…

        • Hélio Sequeira

        • há 2 semanas

        Muito obrigado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *