Logo Loading

O nome não lhes vem de um qualquer gosto pela bizarria, mas da fuga consistente à emoção facilitada pela escrita criativa hábil, habilidosa ou dócil, que se tornou vulgar.

Os Invulgares são, por enquanto, a Ana Rita Sintra, o Luís Ramos e o Mário Nascimento, e o blogue da Bibliotrónica Portuguesa vai passar a publicá-los irregularmente. Todos os originais serão editados por mim.

Ontem brindámos ao acontecimento e falámos sobre arte bruta, bibliotecas privadas, batatas falantes, Paris e o Algarve, o Torel e a Casa do Alentejo, sobre a avó Domitília e o Museu da Cidade, o Adolfo Correia da Rocha e o João Grave, antigos enfeites de Natal, a condição feminina, descobertas filológicas e coisas assim.

A primeira narrativa sairá amanhã.

Ângela Correia

 

P.S. Os Invulgares foram fotografados por Constança Fernandes.

Comments(6)

    • Idalete Giga

    • há 2 anos

    Parabéns a todos! Tudo o que fizerem pela Língua e Cultura Portuguesa é bem-vindo!

    • Luísa Candeias

    • há 2 anos

    Adorei a apresentação de Os Invulgares. Parabéns pela iniciativa! Fico a aguardar as publicações.

    1. Muito obrigada, Luísa. A primeira narrativa – «Outubro», de Luís Ramos – já foi publicada. No rodapé da Bibliotrónica há um espaço onde poderá inscrever-se para receber notificações por e-mail, sempre que são publicados posts no blogue, se o desejar. Até breve.

    • Susana Alice Areco Chaves

    • há 2 anos

    Adorei!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *